Depois do Fernando Mamede, brilhante atleta que quebrava de forma inexplicável nos momentos decisivos, parece  suceder o mesmo com Naíde Gomes, que após o fracasso de Pequim 2008, terminou a prova do salto em comprimento dos Mundiais de Berlim no quarto lugar. Para não se perder de vez a atleta, seria bom um tratamento psicológico com Naíde de forma a se recuperar a atleta para competições futuras

“A lesão não me atrapalhou, mas faltou aquele ‘clique’. Não conseguia sair do chão”

Anúncios