Têm sido impressionantes as manifestações de pesar nas Filipinas pela morte de Corazon Aquino, vítima de cancro no cólon. Nada de mais justo, pois ela bem merece o carinho dos filipinos pelo seu papel no desmembramento da ditadura de Ferdinand Marcos. Após a execução do seu marido, Benito Aquino, quando este regressava de um exílio de Estados Unidos, ela liderou um movimento de contestação ao ditador, que culminaria na sua eleição em 1986.

O seu mandato não foi nada fácil pois enfrentou entre outras coisas, 7 tentativas de golpe de estado. Após o fim do seu mandato em 1992, permaneceu como reserva moral da nação pinoy.

Seria bom que estes exemplos fossem seguidos em países como a Birmânia ou a Coreia do Norte, mas é melhor esperar sentado…

Advertisements