A propósito de um projecto lei sobre a distribuição gratuita de preservativos nas escolas, logo apareceram os representantes muçulmanos e católicos a mandarem bitaites sobre o assunto.

Penso que esta gente devia acima de tudo perceber que Portugal é um Estado laico e como tal restringirem-se aos seus papéis de líderes das respectivas comunidades, abstendo-se de ingerências nos assuntos internos do país.

Anúncios