Em noite de chuva torrencial, o Man Utd foi mais feliz e levou de vencida um Chelsea que tudo fez para ganhar este jogo e se pode queixar das bolas nos postes…

O primeiro tempo foi todo dos Red Devils que viram coroado o seu domínio com um golo de CR a que se podiam ter sucedido mais, não fosse Cech ter feito duas defesas excelentes e Tevez ter chegado atrasado a um cruzamento.

Quando já passava dos 45, um remate de Essien bate em Ferdinand e apanha Lampard isolado que beneficia de uma escorregadela de Van Der Sar para atirar a contar.

O segundo tempo pelo contrário foi dominado pelo Chelsea que podia perfeitamente ter sentenciado o jogo neste período, não fosse um grande remate de Drogba ter esbarrado no poste.

Ferguson mexeu muito tarde na equipa e só após a entrada de Giggs, o jogo se repartiu pelas duas áreas.

O início de prolongamento foi entusiasmante e a um remate de Lampard á barra seguiu-se um remate com selo de golo de Giggs salvo de forma soberba por Terry.

O resto do prolongamento trouxe inúmeros problemas físicos nos jogadores e os inevitáveis despiques físicos que resultaram na expulsão de Drogba.

Nos penaltis, CR fez uma paradinha absurda e podia ter ficado ligado de forma cruel a uma derrota mas Terry no momento decisivo escorregou e atirou ao poste!

Por ultimo, Anelka permitiu a defesa a Van Der Sar e deu a terceira Taça ao Man Utd sem que parecesse ter ficado muito afectado com isso ao contrário de Terry.

Assim, os críticos de Mourinho poderão argumentar que sob o seu comando o Chelsea nunca chegou á final da Champions ao que os seus seguidores poderão argumentar que as finais são para se ganhar e Mourinho ganhou as 3 que disputou em Inglaterra.

Eu penso que Grant beneficiou muito das bases criadas pelo trabalho de Mourinho, tendo pelo caminho aproveitado sorteios bastante favoráveis e um momento de sorte em Liverpool como foi aquele auto-golo de Riise aos 95 minutos…